segunda-feira, 27 de julho de 2015

Escrevo a ti

Escrevo a ti, mestre
Porque acho que merece
Saber de tudo o que penso
E o quanto te respeito.

Escrevo a ti, querido
Porque te admiro tanto
Não só do seu talento
Mas também do seu lado sereno.

Escrevo a ti, iluminado
Pelo teu espírito sagrado
Ao mesmo tempo indignado
Com os problemas do país
Pela fé que tu tens
Pois sua vida é luz
Pela sapiência que domina
Pela coragem que traz consigo
Pela sensibilidade que carrega
Da sua paixão e de sua entrega
Pelo amor à sua profissão
Pelo amor aos seus filhos
E pela sinceridade inabalável
Vinda de suas palavras
Ditas por sua voz inconfundível.

Escrevo a ti, meu caro
Pois gosto muito de você
Desejo te conhecer
Para te dar o meu abraço fraterno
Para mim nunca morrerás
Porque serás sempre eterno.

segunda-feira, 20 de julho de 2015

Você, meu amigo

Construímos ideais, 
Buscamos verdades, 
Cultivamos a fé, 
Saboreamos vitórias, 
Choramos derrotas, 
Festejamos alegrias, 
Duvidamos incertezas, 
Colhemos o que plantamos, 
Vivemos o que somos, 
Aceitamos o que não temos, 
Sorrimos o mesmo sorriso, 
Buscamos o mesmo Deus, 
Temos o sangue da mesma cor, 
Vivemos guiados por um único amor, 
Professamos a mesma fé. 
Mas o que nos torna amigos 
Ultrapassa o que pensamos, 
O que sentimos, 
O que buscamos. 
Pois a amizade se enlaça naquilo que somos... 
Se não te procurei 
Foi porque eu sabia que tu não virias antes e nem depois, 
Mas na hora certa. 
Passos dados, 
Sonhos construídos, 
Caminhos andados, 
Braços unidos, 
Assim vamos. 
Assim vão os verdadeiros amigos.

Hermes José Novakoski

Fonte: http://www.mensagenscomamor.com/poemas-e-poesias/poemas_amizade_verdadeira.htm

terça-feira, 23 de junho de 2015

A minha mãe

Aquela tão formosa flor
Que o meu pai veio encantar,
Hoje está com traços marcados
Na luta de sempre doar.

Cansada, abatida e com cabelos brancos
Ainda vive a encantar
Com os seus gestos de amor e carinho
Que me faz ainda mais admirar.

Mamãe, se eu pudesse hoje
Não a veria a trabalhar
Colocaria numa vitrine
Só para lhe apreciar.

Gilvanete F. Lima

sexta-feira, 8 de maio de 2015

Mãe de Amor

Mãe forte
Me protege 
Das maldades desta vida 
Da vontade sem medida 
E me afaste do herege 
Mãe negra 
Me amamente 
Com sua doçura bendita 
E nesta infância infinita 
A minha alma alimente 
Mãe santa 
Me abençoe 
Em meus atos e palavras 
Dê fartura à minha lavra 
E que da fé eu não destoe 
Mãe sábia 
Me ensina 
A caminhar com retitude 
Que eu alcance a plenitude 
Do saber e disciplina 
Mãe minha 
Me abrace 
Pra que eu possa adormecer 
E em seus braços permanecer 
Até que um dia o medo passe.

Antonio Sérgio Néspoli

Fonte: http://www.mensagenscomamor.com/poemas-e-poesias/poemas_maes.htm#ixzz3ZYfxiatX

quarta-feira, 1 de abril de 2015

Ode à mentira

Crueldades, prisões, perseguições, injustiças, 
como sereis cruéis, como sereis injustas? 
Quem torturais, quem perseguis, 
quem esmagais vilmente em ferros que inventais, 
apenas sendo vosso gemeria as dores 
que ansiosamente ao vosso medo lembram 
e ao vosso coração cardíaco constrangem. 
Quem de vós morre, quem de por vós a vida 
lhe vai sendo sugada a cada canto 
dos gestos e palavras, nas esquinas 
das ruas e dos montes e dos mares 
da terra que marcais, matriculais, comprais, 
vendeis, hipotecais, regais a sangue, 
esses e os outros, que, de olhar à escuta 
e de sorriso amargurado à beira de saber-vos, 
vos contemplam como coisas óbvias, 
fatais a vós que não a quem matais, 
esses e os outros todos... - como sereis cruéis, 
como sereis injustas, como sereis tão falsas? 
Ferocidade, falsidade, injúria 
são tudo quanto tendes, porque ainda é nosso 
o coração que apavorado em vós soluça 
a raiva ansiosa de esmagar as pedras 
dessa encosta abrupta que desceis. 
Ao fundo, a vida vos espera. Descereis ao fundo. 
Hoje, amanhã, há séculos, daqui a séculos? 
Descereis, descereis sempre, descereis. 


Jorge de Sena

Fonte: http://www.citador.pt/poemas/ode-a-mentira-jorge-de-sena